4 anos de Rosa Imortal: uma viagem no tempo!

É muito interessante perceber que já faz 4 anos da primeira publicação de Rosa Imortal. E a viagem no tempo, com certeza, inevitável…

Rosa imortal surgiu da mente de uma caloura do curso de Farmácia da UFPR, lá pelos idos de 1998 (sim, entreguei minha idade xD). Encontrei outras pessoinhas que tinham interesse na criação de histórias e personagens, como a Keila e a Juliana, e pude dar continuidade na imaginação fértil. Como sempre tive paixão (eu diria, atração sobrenatural) pelo ser chamado de VAMPIRO, para mim foi natural começar a escrever histórias sobre estes seres. E quando a Juliana veio nos convidar para jogar RPG (Role Playing Games) Live Action, no qual você tem que se caracterizar conforme seu personagem e atuar, como se estivesse em um teatro, a paixão aflorou! Redescobri a paixão pelo teatro (que eu já tinha desde o Thall lá do Dom Bosquinho, que nunca pude participar embora fosse amiga de todos os atores), percebi a arte do Cosplay como algo maravilhoso, e interpretei vários personagens vampíricos diferenciados, com uma gama de diversão inimaginável!

60386_160484233977367_7773788_n

Natalie Trevanier, uma vampira do clã Gangrel!

61781_160482987310825_7114633_n

Aleksandra Miraglia, uma vampira do clã Toreador!

 

Interpretando Aleksandra Miraglia, a minha vampira do clã Toreador, e Natalie Trevanier, do clã Gangrel, as ideias para uma história com vampiros começou a se formar em minha mente.

E daí, para o papel, para a criação de personagens e cenários, foi um pulo!

Continuar lendo

LÁ VEM ROSA IMORTAL II

Para os ansiosos de plantão, finalmente temos novidades!

 

Saiu a capa da nova edição de Rosa Imortal 2 – Sangue & Espinhos. E se tem capa nova, é porque logo mais teremos data de lançamento! <3

 

12516407_1364274900264955_1878079054_n

 

Aos que acompanham toda a história de Rosa Imortal, vale lembrar que esse livro é um relançamento pela Modo Editora, dentro do Selo Lumus (de fantasia!), e quem além da nova capa, teremos o texto todo revisado e muito bem diagramado.

 

Ficou ansioso?

Confere a sinopse então:

Londres, 2006. Os seres imortais que lá habitam passaram os últimos quarenta anos em relativa trégua. Até agora. Revelações surpreendentes vão retomar fatos de um passado longínquo, onde nada é o que realmente parece, e os vilões nem sempre estão plenamente à mostra. Envolva-se novamente com Eileen e Fabian, patrulhe as ruas junto com Thomas e seu bando, e observe o mundo dos vampiros com os olhos de Ann Arrows. Mas experimente avaliar o mesmo mundo através dos olhos de policiais como Benjamin e Simon. Você irá se surpreender!

 

Consegue adivinhar quem é o personagem da capa? Comenta aí me dizendo quem você acha que é xD No próximo post, revelaremos!

 

o/

GLORIA GAYNOR EM TERRAS BRITÂNICAS

Apesar de não ser de origem britânica, Gloria Gaynor ganhou seu espaço em Rosa Imortal na parte do epílogo, onde o trecho da canção “I Will Survive” foi cantado por Loren e Eileen, comemorando a imortalidade e deixando uma incógnita sobre suas vidas amorosas, uma vez que ao final do arco da história que se passa no ano de 1969, elas estavam se aventurando em novas áreas, na questão amorosa.

 

gaynor

First I was afraid, I was petrified

I thought that I could never live

without you by my side.”

A canção norte-americana foi lançada no final de 1978 e certifica com disco duplo de platina. Ela ficou bastante conhecida por não possuir baking vocals, e apenas a voz de Gloria Gaynor. Na época, a grande maioria das canções eram fortemente produzidas, com múltiplas vozes, e como não houve pretensão de que “I Will Survive” fosse um grande hit, a canção possui um som mais livre e “limpo”.

Ganhou o Grammy de Melhor Gravação em 1980 e entrou para a lista dos “500 Greatest Songs of All Time” da Revista Rolling Stone. A Billboard a incluiu na listagem das “All-time Hot 100” e recebeu primeiro lugar na lista da VH1 das 100 maiores canções de dança.

A canção aborda o ponto de vista de uma mulher recém abandonada pelo companheiro, no entanto, é tida como um hit gay por sua execução no filme “Priscilla, a Rainha do Deserto”, de 1994, posterior aos eventos do livro.

Quer saber mais? Continue acompanhando os posts do blog que iremos apresentar inúmeros aspectos de Rosa Imortal por aqui o/

ROLLING STONES, PRESAS E SANGUE

 

Em meados de julho de 1969, Jason solicitou a seu superior que o permitisse sumir, para poder investigar melhor uma série de mortes que o intrigavam.

rolling-stones

Enquanto isso, os Rolling Stones apresentavam Mick Taylor como substituto de Brian Jones (que tinha problemas com drogas, e acabou falecendo na mesma época). Um grande show foi planejado para sua apresentação em um dos maiores parques de Londres, o Hyde Park. Cerca de 500 mil pessoas compareceram ao evento onde a banda tocou alguns de seus maiores sucessos.

Please allow me to introduce myself

I’m a man of wealth and taste

I’ve been around for a long long years

Stolen many man’s soul and faith”

O trecho acima foi cantado por Marcello enquanto estava com Eileen, certamente referindo à própria imortalidade. Trata-se da música Sympathy for the Devil que havia sido lançada no ano anterior aos acontecimentos do livro, 1968.

Em breve, mais uma espiada nesse mundo de sangue, presas e referências incríveis!

SOBRE BEATLES E VAMPIROS

Aperta o play na sua playlist favorita dos Beatles, e senta que lá vem história!

Ou clica aqui que tem uma playlist incrível no spotify

Enquanto Eileen se acostumava a suas novas presas e sede de sangue, os garotos de Liverpool lançavam seu penúltimo álbum: Abbey Road.

Apesar de ter sido o penúltimo álbum lançado pela banda, foi o último a ser gravado. As músicas do último disco lançado pelos Beatles, ,Let It Be foram gravadas alguns meses antes das sessões que deram origem a Abbey Road. O álbum é considerado um dos melhores do grupo.

 

Ela riu novamente e balançou os pés, alegremente. Estava sentada em uma pequena mureta que separava o belo jardim da entrada da casa. Ouvia Pennylane, dos Beatles, uma das suas músicas preferidas.”

Como podemos observar nesse trecho retirado do primeiro livro, a vampira Ann, tem uma apreciação especial pela música Pennylane que, por sua vez, não faz parte do álbum Abbey Road, mas sim, de seu antecessor, Magical Mistery Tour, que foi lançado em 1967.

Como Rosa Imortal é recheado de referências históricas, musicais e também da cidade de Londres, em breve teremos mais posts apresentando alguns aspectos desse mundo incrível, cheio de presas e sangue.

Até o/