Entrevista – Hoje acordei com vontade de ler

Entrevista cedida ao blog “Hoje acordei com vontade de ler”

Divã do Acordei – Oi Tâni, tudo bem com você?

Conte um pouquinho sobre a infância da Tâni. Você já tinha aspirações a se tornar escritora desde criança?

Tâni – Bom, eu sempre gostei de escrever; lembro-me bem de uma professora que pediu uma redação de uma página e eu fiz três! Estava na segunda série, se não me engano. Sempre li bastante, por influência de minha mãe e sua ótima biblioteca que tínhamos desde sempre na sala de casa.

Divã do Acordei – De onde surgiu esse interesse pela literatura sobrenatural?

Tâni – Desde criança tenho interesse por sobrenatural, e o meu “monstro” preferido de infância sempre foi o misterioso vampiro. Sempre achei o mito do vampiro algo romântico, gótico e clássico. Por predileção própria, gosto de romances policiais e de mistério (li muito Agatha Christie) e de espionagem (devorava livrinhos de bolso), então imagine a “salada literária” que me formou, né?! =)

Divã do Acordei – Em 2001 você viajou a Londres. A escolha do cenário para Rosa Imortal foi exatamente como você imaginou ao chegar lá? E o que impressionou você em Londres, que acabou adicionando ao livro?

Tâni – Olha, até o momento da viagem, o que eu conhecia de Londres vinha de relatos de meus pais (que já tinham ido uma vez) e de mapas, filmes e internet. Quando cheguei lá, fiquei ainda mais fascinada do que eu já era. Foi realmente interessante ir para lá já com o livro começado, pois voltei da lá com ele muito mais estruturado, consegui enxergar os personagens andando por aquelas antigas ruas. Fui atrás de pontos importantes para a minha história, como a estátua do Peter Pan, ou o bairro de Elephant & Castle.

Divã do Acordei – O que os leitores podem esperar ao ler “Rosa Imortal”. Fale um pouquinho sobre os personagens e suas personalidades.

Tâni – “Rosa Imortal, Um Novo Florescer” é um misto de romance sobrenatural com romance policial. Por um lado tem o mistério, a espionagem e o crime, mas por outro tem a paixão, o terror, o vampiro. Então é um misto desses fatores, em uma cidade única como Londres, e no final dos anos sessenta. Temos Eileen, uma corajosa jornalista e espiã, que acaba descobrindo mais sobre um mundo que está mesclado ao dos humanos, embora imperceptível. Loren, sua melhor amiga, uma romântica incorrigível, descobre-se sozinha e com poderes que até então desconhecia. Marcello, amigo de ambas, é instável e divertido, mas esconde muita coisa por entre suas brincadeiras. E temos Fabian, um vampiro sério e amargurado com lembranças do passado, que acaba sendo trazido para os mistérios de um assassinato. Mais do que isso, para agora não posso falar! =)

Divã do Acordei – Quais são os seus projetos futuros?

Tâni – A continuação de Rosa Imortal, com subtítulo provisório de “Espinhos”, já está na reta final de criação, creio que irei lançá-lo no final do primeiro semestre de 2013. Tenho ideias para um terceiro livro (ainda está em fase de brainstorm), além de uma história paralela que começou a surgir em minha mente e talvez vire um livro intermediário entre o 1 e o 2…

Divã do Acordei – Quais são os seus autores favoritos?

Tâni – Estrangeiros: Agatha Christie, Anne Rice, John Le Carré, J.K. Rowling. Nacionais: Pedro Bandeira, André Vianco, Nazarethe Fonseca.

Divã do Acordei – E a citação favorita?

Tâni – De trecho de livro, gosto de Lestat, em “Cântico de sangue”, “Em outras palavras, sou condenado a habitar anoite eterna e procuro sangue num tormento interminável. Isso não faz com que eu pareça irresistível?”.

Mas minha querida Agatha Christie tem uma ótima citação de autora, “A melhor receita para o romance policial: o detetive não deve saber nunca mais do que o leitor”.

Divã do Acordei – Quais conselhos você pode dar aos futuros autores?

Tâni – Paciência. Porque o mercado editorial não é fácil, mesmo depois que se entra, pois vender livros não é tão simples; somos escritores, e normalmente não temos dom para vendas. Mas com calma, achando os nichos, vale a pena. E sempre tomar cuidado, porque editoras milagrosas (e perigosas) sempre vão espreitar o autor iniciante, e pode ser armadilha. Sempre verifique o histórico, converse com outros autores na editora. Cuide-se, preserve-se. E nunca desista!

Divã do Acordei – Gostaria de deixar um recado para os leitores do “Acordei com Vontade de Ler”?

Tâni – Amigos, continuem lendo. Vocês já têm o diferencial, já são mentes pensantes. E nunca deixem de ser, façam sempre a diferença! Sabemos que o gosto pela leitura ainda é um hábito de poucos, então, mais do que nunca, vamos exercer esse dom, vamos participar, vamos “trocar figurinhas”, por assim dizer, pois temos muito a ganhar!