Resenha #2 Sangue & Espinhos: Evaldo Pedroso

“Um bom livro é como um relacionamento, tem o começo empolgante, o desenrolar envolvente, o momento dos novos acontecimentos, o amadurecimento dos fatos e o final, muitas vezes, surpreendente.

Tâni Falabello, a jovem escritora mineira radicada em Curitiba, nos brinda com a continuação de seu romance vampiresco ‘Rosa Imortal’, intitulado ‘Sangue e Espinhos’.

O livro nos remete a atual, porém, eterna Londres, agora liderada das sombras pelo charmoso vampiro Fabian Griffiths, que, ao lado de sua estimada Eileen, tem a missão de promover a harmonia entre as forças sobrenaturais e o mundo profano.

Novos atores aparecem neste sombrio palco, em um balé orquestrado pelo líder dos vampiros e o regente dos lobisomens, o enigmático Simon Dane.

Novamente, espionagem, misticismo e fantasia se misturam em uma rica tela de poesia, onde a autora nos encanta com a fluidez de seu texto, demonstrando seu amadurecimento como artista das letras.

Em capítulos curtos, porém envolventes, brinca com o imaginário em verdadeiros jogos de sedução, utilizando-se de ‘flashbacks’ para atrair a atenção do leitor, concedendo as tramas uma refinada sensibilidade.

Em um mundo onde todos possuem algo a esconder, a autora traça sua teia de tramas e mistérios, conectando o leitor a personagens ricos e carismáticos, em uma sintonia de sentimentos, envolvendo-os em uma trilha sonora digna dos grandes mestres.

Ler a continuação deste romance é como visitar um bom amigo, e, na medida certa, os mistérios são revelados, amores desfeitos e novos corações arrebatados, mas, em que pese os novos acontecimentos, a velha questão continua no ar; como não se apaixonar por esta ‘Rosa Imortal’.”