Teaser “Sangue & Espinhos”

(Londres, 2006)

“FOLHEANDO UM FICHÁRIO QUE CONTINHA SEUS INFORMES SOBRE UMA INVESTIGAÇÃO, EILEEN SORRIU. Ela sabia que, mesmo não estando envolvida oficialmente, boa parte das informações obtidas pelo MI-6 na ocasião viera de sua fonte. Os créditos foram dados a outro agente, mas Eileen não se havia se importado, pois tinha ciência que esse era o único jeito de manter a espiã viva dentro dela.
Ariel. Já fazia tanto tempo.

— Estou ficando muito nostálgica! Não posso criticar Marchie por ficar se lembrando do passado, afinal! — a moça riu de si mesma, guardando a pasta em uma gaveta de sua escrivaninha.

Nela, Eileen mantinha intacta uma parte importante de sua vida. Toda a sua história como agente secreta do MI-6, atendendo pelo codinome Ariel, em arquivos, fotos, documentos e informes escritos. Com o advento da informática, a papelada havia diminuído de volume, sendo em sua maioria substituídos por CDs e pendrives. Os rádios comunicadores, sempre charmosos em seus inusitados disfarces, trocados por práticos telefones celulares e palmtops. Mas a velha emoção de investigar, o risco corrido para se obter sempre a melhor informação, isso nunca deixaria de existir, fosse qual a roupa que tivesse.”